Independente da crise econômica, pandemia e  queda do mercado de quase 40% em 2020, a Caoa Chery segue cumprindo rigorosamente seu plano de lançar pelo menos dois veículos por ano. Nesta quarta-feira, 12, quando se completam exatos 3 anos da decisão da Caoa de assumir a operação local da chinesa Chery, foi a vez do sexto: o Tiggo 8, SUV grande de sete lugares.

O novo modelo ocupa o topo da linha que já conta com outros três utilitários esportivos e dois sedãs nacionais. Com motor 1.6 turbo a gasolina de 187 cv e respeitável pacote de conteúdos de série, o Tiggo 8 desembarca nas revendas em versão única, a TXS, por R$ 168,6 mil, preço que deve colocar boas dúvidas nos consumidores que têm, por exemplo,  Volkswagen Tiguan ou Peugeot 3008 de 7 lugares como as primeiras opções de compra.

Mas, pelo menos num primeiro momento, a Caoa Chery quer incomodar até mesmo concorrentes de outros segmentos, até para chamar ainda mais atenção para os demias produtos da marca. Sem definir um prazo ou número de unidades ofertadas, a empresa venderá o Tiggo 8 com valor promocional de lançamento de R$ 156,9 mil.

Apenas para ficar em exemplo recente: a Ford acaba de colocar nas ruas o Territory, seu SUV médio importado da China, em duas versões que custam R$ 165,9 mil e R$ 187,9 mil. Ambas também motor turbo a gasolina, mas com  150 cavalos.

Se o preço é de veículos de segmentos abaixo, porte e nível de conteúdo não deixam nada a desejar aos concorrentes diretos e até mais caros, embora faltem, por exemplo, alerta de mudança de faixa, piloto automático adaptativo e frenagem automática de emergência já nem tão incomuns.

Mas câmbio automático de sete velocidades, teto solar panorâmico,  câmera 360 graus,  painel de instrumentos digital em LCD-TFT de 12,3 polegadas, multimidia de 10,25 polegadas, ajuste elétrico do banco do motorista, ar-condicionado dual zone, carregador de celular por indução, abertura do enorme porta-malas (889 litros na configuração para cinco pessoas) por chave de aproximação e comando de climatização à distância são de série.

O acabamento interno, com muitos detalhes em aço escovado, couro e sete cores de iluminação, merece destaque. Assim como a lista de recursos de segurança que engloba desde 6  airbags de freios a disco nas quatro rodas até auxílio de descida e partida em rampa, controles de tração e estabilidade, faróis em LED, sensores de pressão dos pneus e monitoramento de ponto cego, dentre outros dispositivos.

Fabricado em Anápolis, o Tiggo 8 utiliza a plataforma a T1X, a mesma dos Tiggo 5X e 7, que também saem da planta goiana. A nacionalização é baixa, a exemplo do restante da linha, que  continha algo como 11% de componentes locais no ano passado. A montadora diz, sem revelar o atual índice do Tiggo 8, que a ideia é chegar a 30% nos próximos dois anos.

Segundo Marcio Alfonso, CEO da Caoa Chery, inicialmente a capacidade produtiva para o novo SUV é da ordem de 300 unidades mensais, quantidade esperada também para as vendas. “Mas podemos dobrar  esse número, caso necessário”, admite o executivo, que confirmou a apresentação de novos produtos ainda em 2020 e, já em 2021, o primeiro da Exeed, divisão de luxo da Chery focada em utilitários esportivos.